Uma barragem da mineradora Vale se rompeu na tarde desta sexta-feira (25), em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Rompimento foi na altura do km 50 da MG-040.

De acordo com a Defesa Civil, os moradores que moram na parte mais baixa da cidade serão retirados das casas.

Últimas informações

  • Subiu para 110 o número de mortos após o rompimento da barragem em Brumadinho, segundo último balanço do Corpo de Bombeiros de MG.
  • Segundo os bombeiros, há cerca de 238 desaparecidos

VEJA MAIS: SOS Brumadinho: Instituições estão recebendo doações para vítimas da tragédia

Publicidade

Imagens estão circulando pelas redes sociais do incidente. O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil foram mobilizados para a chamada.

Nota da Vale:

A Vale informa que ocorreu, no início da tarde de hoje, o rompimento de uma barragem na Mina Feijão, em Brumadinho (MG). As primeiras informações indicam que os rejeitos atingiram a área administrativa da companhia e parte da comunidade da Vila Ferteco. Ainda não há confirmação se há feridos no local. A Vale acionou o Corpo de Bombeiros e ativou o seu Plano de Atendimento a Emergências para Barragens.

A prioridade total da Vale, neste momento, é preservar e proteger a vida de empregados e de integrantes da comunidade.

A companhia vai continuar fornecendo informações assim que confirmadas.

Primeiras imagens estão sendo divulgadas por moradores da região (Reprodução WhatsApp)

Governo de Minas emite nota:

“Uma força-tarefa do Estado de Minas Gerais já está no local do rompimento da barragem em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, para acompanhar e tomar as primeiras medidas.

O Corpo de Bombeiros por meio do Batalhão de Emergências Ambientais, e a Defesa Civil também já estão no local da ocorrência trabalhando e há dois helicópteros sobrevoando a região.

O Governo de Minas Gerais já designou a formação de um gabinete estratégico de crise para acompanhar de perto as ações. Assim que houver mais informações, o Governo de Minas Gerais emitirá novos comunicado”

Imagem mostra antes e depois da região afetada pelo rompimento da barragem em Brumadinho (Reprodução Corpo de Bombeiros e Reprodução Google Earth)
Imagem mostra antes e depois da região afetada pelo rompimento da barragem em Brumadinho (Reprodução Corpo de Bombeiros)

Abastecimento de Água

Segundo nota emitida pela Copasa, o abastecimento de água não será afetado pelo rompimento da barragem.

A Copasa informa que o abastecimento de água da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) não será prejudicado com o rompimento da barragem Mina Feijão, em Brumadinho, de responsabilidade da Vale, ocorrido na tarde desta sexta-feira (25/01).

A Companhia informa que está monitorando a situação e acompanhando no local. Caso seja necessário, o abastecimento da região atendida pelo sistema Paraopeba, passará a ser realizado pelas represas do Rio Manso, Serra Azul, Várzea das Flores e pela captação a fio d’água do Rio das Velhas.

Instituto Inhotim evacuado

Após o rompimento da barragem de rejeitos da mineradora Vale em Brumadinho, o Instituto Inhotim informou que, por segurança, está evacuando o museu.

Prefeitura de Betim reserva ala no Hospital Regional

A Prefeitura de Betim informou que o Hospital Público Regional de Betim foi preparado para atender as vítimas que, de alguma forma, foram atingidas fisicamente pelo rompimento da barragem de Brumadinho. A Sala Vermelha e um bloco cirúrgico exclusivo para os atendimentos estão à disposição. Foram colocadas macas nos corredores, além da liberação do estacionamento para possível pouso de helicóptero. Até às 16h20, nenhuma vítima havia chegado ao HPRB.

Bolsonaro irá sobrevoar área do rompimento

O presidente Jair Bolsonaro fez na noite de sexta (25), um pronunciamento no Palácio do Planalto, para anunciar as medidas emergenciais para tentar buscar soluções para “minorar” a tragédia, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte. Ele confirmou que amanhã (26) cedo estará no local. Também destacou que um gabinete de crise monitora a situação.

“Amanhã pela manhã, juntamente ao ministro da Defesa, partiremos para Belo Horizonte. De lá, cerrará à nossa delegação o senhor governador do estado de Minas onde sobrevoaremos a região, para que possamos então, mais uma vez reavaliando os danos, tomar todas as medidas cabíveis para minorar o sofrimento de familiares de possíveis vítimas, bem como a questão ambiental”, disse o presidente em seu pronunciamento.

Atualizado em 26/01/2019 às 2h49

Continue navegando

Avalie este post/evento

Publicidade